terça-feira, março 04, 2008

04/03/2008 - 18h58
PT vai questionar conduta de Marco Aurélio Mello como magistrado

COMENTÁRIO: E DEPOIS DE ESVAZIAR O STF, JÁ BEM MANSO EM RELAÇÃO AO GOVERNO PETISTA, CASSANDO MINISTROS DAQUELA CORTE, O PT, PARTIDO DA EX-QUERDA, COM CERTEZA IRÁ NOMEAR JUÍZES À ALTURA DO NOÇO LÍDER E DE SEUS ÁULICOS. PRESIDENTE DO STF SERÁ DELUBIO SOARES, PRESIDENTE DO TSE, SILVIO PEREIRA, ALÉM DE MARCOS VALÉRIO, E UMA QUANTIDADE IMENSA DE "ÉTICOS" DA AGREMIAÇÃO DE SUA MAJESTADE QUE NÃO GOSTA DE SER CONTROLADA PELA SIMPLES LEI DOS MORTAIS. TIAGO 1 DIZIA QUE ELE SÓ ACEITARIA PRESTAR CONTAS A DEUS. NO CASO DE LULLA E DE SEUS AJUDANTES DE ORDENS, NEM ISSO É PRECISO: LULLA É DEUS... O ÚNICO, CLARO, QUE OS PETISTAS RECONHECEM, DEPOIS DE MAMONA, NOME BÍBLICO PARA DINHEIRO...
AH! COMO A DITADURA SE APRESSA, CORROI TODOS OS TECIDOS DA LEI E DO ESTADO. SOBRAM OS ACOSTUMADOS A CORROER.
ROBERTO ROMANO

RENATA GIRALDI
da Folha Online, em Brasília
O PT prepara duas representações contra o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello. Nas representações, o PT acusa Marco Aurélio de desrespeitar a lei que proíbe os magistrados de se manifestarem sobre processos que tramitam na Justiça.

O alvo das representações são declarações do ministro, que disse que o lançamento do programa Territórios da Cidadania em ano eleitoral poderia ser contestado judicialmente. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou indiretamente o ministro e disse que "seria tão bom se o Judiciário metesse o nariz apenas nas coisas dele".

"O governo não se mete no Legislativo e não se mete no Judiciário. Se cada um ficar no seu galho, o Brasil tem chance de ir em frente. Se cada um der palpite [nas coisas do outro], pode conturbar tranqüilidade que sociedade espera de nós", afirmou Lula na semana passada.

As críticas de Lula foram criticadas por parlamentares da oposição, que entraram com ações na Justiça para questionar o programa.

"Isso que ele [Lula] criticou é a última crítica que ele poderia fazer, poderia ter feito outras críticas mais legítimas, essa de recorrer ao Judiciário, o Congresso tem legitimidade para recorrer sempre que se sentir atingido", afirmou o presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN).

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), criticou a reação de Lula atribuindo ao estilo de personalidade dele. "O presidente revelou o estilo ditatorial dele. O ministro Marco Aurélio Mello está fazendo o trabalho dele", afirmou

Porém, o líder do PT na Câmara, Maurício Rands (PE), saiu em defesa de Lula. Segundo ele, o programa não é eleitoreiro, mas necessário. "É inadmissível que alguém possa se colocar contra o programa. Não é eleitoreiro, pois os programas são decididos com antecedência e neste caso atinge áreas que precisam de política social", disse o petista.

A decisão de questionar a conduta de Marco Aurélio foi tomada durante reunião da bancada do PT na Câmara. O texto das representações será elaborado pelo departamento jurídico do partido.

Arquivo do blog